Notícias de Última Hora

Comunista que não cursou medicina, envolvido em escândalos de epidemias é diretor-geral da OMS


Odiretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, foi colocado na posição de novo protagonista e porta-voz dentre as lideranças mais prestigiadas que comentam sobre o Coronavírus no mundo.

O Etíope fez declarações, bastante duras, com críticas sobre o uso dos remédios que poderiam dar uma esperança aos pacientes acometidos de maneira mais severa pela doença COVID19, causada pelo vírus SARS COV 2: “O uso não testado de medicamentos sem evidências corretas pode gerar falsas esperanças, causar mais mal do que bem e provocar a escassez de medicamentos essenciais necessários para tratar outras doenças”.



Tedros, além de fazer parte da diretoria da OMS, também fez parte do clubinho de pessoas mais influentes que constituíram a estrutura de Estado na Etiópia. É conhecido com um líder brutal do partido minoritário, a Frente de Libertação do Povo Tigray, uma ala do Partido Democrático Revolucionário Popular da Etiópia, com raízes marxistas e comunistas.

Quando ocupou o cargo de Ministro das Relações Exteriores, o atual diretor geral da OMS, fez relações comerciais importantes com países como a China e a Rússia, estreitando relações com nações que se identificam com sistemas comunistas e ditatoriais.


As polêmicas que envolvem “Dr. Tedros”, como ele gosta de ser chamado, não param! Ele possui acusações graves de violação de direitos humanos, repressão, acusações de que tentou abafar epidemias de cólera quando Ministro da Saúde, corrupção, e é responsabilizado por milhares de mortes em seu país de origem, Etiópia, por esconder outras grandes epidemias.

Hoje, este homem encabeça um dos mais altos cargos da Saúde mundial e por mera coincidência do destino, o “Doutor” que carrega o título em função de um Ph.D. em saúde comunitária, na verdade não é “médico”. Tedros cursou Biologia e um mestrado em imunologia de doenças infecciosas. Mas, isso não o torna “médico” como muitas vezes as pessoas confundem pelo uso do título.

É engraçado pensar que o uso de um diploma de Ph.D. valida algumas das maiores bobagens faladas por este indivíduo. E nem precisaria ser de fato um médico para opinar, mas no mínimo, ser uma pessoa que não use seus títulos e sobretudo que seja um comunista cheio de acusações graves. Creio que isso seria o mínimo esperado por um “figurão” desses, não?


Tedros serviu em regimes violentos e repressivos e é importante ressaltar que, após a instauração do comunismo na Etiópia, o país teve milhares de mortes por epidemias de cólera abafadas pelas autoridades locais e caiu em uma completa desgraça de fome e miséria – algo bem “normal” em ditaduras comunistas.


Qual a competência que um “doutor” desses tem para liderar o “principal” órgão de saúde do mundo? Órgão este que, inclusive, se submete à Organização das Nações Unidas (ONU). Essa é somente uma leve reflexão para você, caro leitor.

E aí? É muita teoria da conspiração ou você acha que existe alguma estranheza nessa história?


Confira o que disse Bernardo Küster no vídeo “Comunista dirigindo a Org Mundial da Saúde” em seu Canal do YouTube:


Por Teff Ferrari, com informações do portal Agora Paraná