Notícias de Última Hora

Cidade chinesa proíbe negros de ir a restaurantes e hotéis: “Estou dormindo debaixo da ponte”


A China comunista que propagou a pandemia de coronavírus, tem muitas coisas a esconder. O seu regime ditatorial sempre foi um segredo para o resto do mundo e apenas informações rasas chegam do país asiático.

Neste período pandêmico, a China não está conseguindo se esconder como de costume.

Essa semana veio a tona uma informação grotesca do regime comunista chinês, muitos empresários, trabalhadores e estudantes de países da África estão sofrendo discriminação racial em uma cidade no sul da China, Guangzhou.


Em meio a intensa propagação da doença, estrangeiros ainda tem que lidar com a discriminação enraizada em solo chinês.

Mesmo sendo a maioria dos casos de Covid-19 de chineses, muitos moradores estão culpando os africanos pela proliferação do vírus.

Isso mesmo caro leitor, você não leu errado.


Atualmente, de forma obrigatória, Guangzhou começou a aplicar testes de coronavírus em pessoas negras. Não bastando isso tudo, ainda ordenou que restaurantes e outras empresas de serviços não os atendam.

“Estou dormindo debaixo da ponte há quatro dias sem comer. Não posso comprar comida em lugar nenhum, nenhuma loja ou restaurante me serve. Somos como mendigos na rua”, disse Tony Mathias, um estudante de Uganda.



Segundo informações, os africanos que foram testados não receberam os resultados de seus testes. Ainda há alguns que dizem ter sido informados do resultado negativo, entretanto, ainda foram forçados a ficar em isolamento.

“Em todos os lugares que a polícia nos vê, eles nos perseguem e nos mandam ir para casa. Mas para onde podemos ir?”, indagou um empresário da Nigeriano.

Fonte: Breitbart