Notícias de Última Hora

CNJ dá 15 dias para juiz explicar prisão domiciliar de líder de facção no Paraná

Bandido cortou a tornozeleira eletrônica cinco horas depois de ser libertado

Corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins. Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ
O corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, ordenou investigação e pediu esclarecimentos ao juiz substituto Diego Paolo Barausse, da 1ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, sobre a concessão de prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica a um detento, membro notório de facção criminosa, por estar no grupo de risco do novo coronavírus. O réu cortou a tornozeleira cinco horas depois de deixar a prisão

A Corregedoria Nacional de Justiça foi informada pela Assembleia Legislativa do Paraná, que enviou ofício ao Tribunal de Justiça do Estado.



Os parlamentares fizeram o mesmo questionamento sobre as razões que levaram à concessão do benefício.

O juiz substituto tem 15 dias para prestar as informações à Corregedoria.

Fonte: Diário do Poder