Notícias de Última Hora

‘Doação’ de dinheiro de Huck pode configurar crime, se ele for candidato este ano

Ele oferece R$200 de auxílio a moradores de locais pobres 'para pagar boletos e fazer compras'

"Doação" de dinheiro de Luciano Huck pode configurar crime eleitoral. Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress
Louco para virar político, se Luciano Huck tentar se lançar prefeito do Rio de Janeiro, este ano, como se fala, pode ser impedido. Semana passada, ele divulgou vídeo através do Whatsapp onde anunciou uma doação de R$200 a qualquer residente de Vegel do Lago (AL). É uma campanha que chamou de “Zap do bem”, onde residente da região – após cadastro – recebe um crédito através de carteira digital para “pagar boletos, fazer compras”. O problema é que isso pode ser crime eleitoral.

“Desequilibra o pleito de forma ilícita. Pode caracterizar abuso de poder econômico, promoção pessoal”, diz a jurista Samara Ohanne.

Se tentar ser prefeito ou vereador este ano, Huck pode ter a candidatura impugnada ou, caso eleito, ter seu mandato cassado”, adverte Ohanne.



Huck diz no vídeo que “a gente vai te ajudar”, “significa que ele está envolvido” diz Ohanne. Em ano eleitoral, é proibido para candidatos.

Porém, “não há como configurar crime eleitoral para as eleições gerais”, para presidente, em 2022, ressalta a advogada eleitoral Leila Ornelas.


A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder