Notícias de Última Hora

“Documento do carro” já pode ser impresso pelo próprio condutor em 13 estados


Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) liberou a possibilidade de imprimir o CRLV, o famoso “documento do carro”, em casa para residentes em 13 estados, além do Distrito Federal. A opção é uma expansão do modelo de documentação digital que já está disponível em todo o país, por meio de aplicativos para celular, e surge também como uma medida para evitar idas presenciais a postos de atendimento, em resposta à pandemia do novo coronavírus.

A partir de agora, os proprietários de veículos no Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul e Santa Catarina já podem realizar a impressão de cópias do documento veicular em casa. O restante dos estados deve liberar a opção até o dia 30 de junho, com os já disponíveis tendo antecipado o recurso de forma a evitar a proliferação do COVID-19.


A liberação da cópia digital do CRLV deve ser feita nos sites estaduais dos Detrans, por meio do aplicativo CDT, que também traz a versão digital da Carteira Nacional de Habilitação, ou através do Portal de Serviços do Denatran. Um QR Code presente no documento garante a autenticidade em caso de fiscalização, por isso, o órgão pede que a impressão da cópia seja feita em qualidade alta.

Documento do carro impresso pelo usuário, ao lado da versão digital, passa a substituir emissão oficial pelo Detran a partir de julho (Imagem: Divulgação/Detran RS)Mais
Ao disponibilizar a possibilidade de o proprietário imprimir sua cópia da documentação do veículo, o Denatran também adianta os efeitos de decisão emitida no final do ano passado, que deve extinguir a versão oficial impressa do CRLV. A partir de junho, os donos de carros terão acesso somente às versões digitais dos documentos e, caso queiram ter também uma cópia física, deverão realizar a impressão por conta própria.


Em caso de fiscalização, valerão tanto as versões digitais quanto as impressas pelo próprio usuário, bem como as oficiais emitidas pelos órgãos de trânsito anteriormente ao final de junho, quando esse serviço deixa de ser prestado. Quem já tiver o documento nesse formato pode continuar a utilizar normalmente, sem que ele perca a validade após a data.

Fonte: Canaltech