Notícias de Última Hora

Advogado é preso pela PC após esquecer pen drive com pornografia infantil no Fórum de Santarém

Operação deflagrada pelo NAI após minuciosa investigação. Justiça havia decretado busca e apreensão na casa de Marcelo Spínola Salgado

Movimentação de policiais em frente à sede do NAI, em Santarém — Foto: Reprodução/Redes Sociais/Arquivo
O advogado Marcelo Spínola Salgado, 61 anos, foi preso em flagrante na manhã desta terça-feira (15), no bairro Santíssimo, em Santarém, oeste do Pará, por armazenamento de pornografia infantil. As investigações que levaram à prisão do suspeito foram realizadas pelo NAI (Núcleo de Apoio à Investigação), sob o comando do delegado Silvio Birro e colaboração da delegada Milla Moura.

De acordo com a polícia, a investigação iniciou após o advogado esquecer um pen drive no Fórum de Justiça de Santarém. O dispositivo continha arquivos de pornografia infantil e foi encaminhado para a perícia.


A Justiça havia expedido mandado de busca e apreensão que foi cumprido na casa do suspeito, na manhã de hoje, onde a polícia encontrou mais material pornográfico.

"Há algum tempo atrás, esse advogado esqueceu um pen drive no Fórum e recolheram esse pendrive e quando abriram pra ver de quem era, encontraram muito conteúdo com pornografia infantil. Encaminharam esse pen drive para a delegacia, foi encaminhado para perícia, e o advogado foi ouvido pela polícia e esse inquérito foi fechado e encaminhado para a Justiça. A Promotoria pediu que fosse realizada uma busca e apreensão, nós realizamos na data de hoje e analisando com autorização judicial os computadores desse advogado, encontramos vasto material também", relatou a delegada Milla Moura.

Marcelo Spínola Salgado foi preso por armazenamento de pornografia infantil — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Como se trata de advogado, e o suspeito utilizava a residência também como escritório, a polícia solicitou que a OAB acompanhasse a busca e apreensão.

À delegada Milla Moura, durante depoimento na sede do NAI, após a prisão, o advogado confirmou que de fato armazenava pornografia infantil, mas que acha que não é crime por não ter compartilhado, nem comercializado o conteúdo com ninguém. Mas de acordo com a delegada, está configurado o crime de armazenamento de pornografia infantil.


O advogado ainda vai passar por audiência de custódia, onde será decidido pela Justiça se ele será encaminhado ao Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura (Crashm), ou se responderá em liberdade.

Por Sílvia Vieira e Kamila Andrade, G1 Santarém — PA