Notícias de Última Hora

Argentina estabelece cota para trans no setor público

O decreto de Fernández estabelece que "essa população tem direito à proteção contra o desemprego”

Alberto Fernandez faz sinal de 'Lula Livre' Foto: Reprodução
Por meio de um decreto presidencial, o governo da Argentina estabeleceu que o setor público deverá contar com ao menos 1% de servidores transgêneros, transexuais ou travestis.

A decisão do presidente Alberto Fernández foi replicada no Senado, que é comandado pela vice-presidente, Cristina Kirchner.

Kirchner estabeleceu que a cota também seja respeitada entre os funcionários do Congresso.

O registro como trans será voluntário e não é necessário que a pessoa tenha pedido a alteração em sua documentação pessoal.

O decreto de Fernández estabelece que “essa população tem direito à proteção contra o desemprego, sem discriminação por motivos de identidade de gênero ou sua expressão”.

“Portanto, não é permitido estabelecer requisitos de empregabilidade que obstruam esses direitos”, acrescenta o texto.

Com informações do jornal Folha