Notícias de Última Hora

Governo explica os ‘mil dólares do auxílio’ e “cala” a esquerda

Na ONU, presidente Jair Bolsonaro afirmou que o total do benefício ficou próximo de 1000 dólares

Presidente Jair Bolsonaro Foto: EFE/Antonio Lacerda
Nesta quarta-feira (23), o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, compartilhou uma publicação da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) explicando a fala de Bolsonaro sobre as parcelas do auxílio emergencial totalizarem cerca de mil dólares. A declaração foi feita pelo presidente durante seu discurso na abertura da 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

– Nosso governo, de forma arrojada, implementou várias medidas econômicas que evitaram o mal maior. Concedeu o auxílio emergencial em parcelas que somam aproximadamente mil dólares para 65 milhões de pessoas. O maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo – disse o presidente durante seu discurso na ONU.


Para acabar com as críticas sobre as declarações, o governo explicou o cálculo utilizado para se chegar aos mil dólares.

Na primeira fase do programa, foram disponibilizadas cinco parcelas de R$ 600 para os beneficiados. Já para mães solteiras ou mulheres chefes de família, o valor dobra, chegando a R$ 1.200. De acordo com os cálculos do governo, o valor médio do auxílio emergencial ficou em R$ 3.782. Com base no valor do dólar no dia 3 de abril, quando a lei que estabeleceu o benefício foi sancionada, o número representa 715 dólares (cerca de R$ 5,29).

Já na segunda fase, serão quatro parcela de R$ 300 (R$ 600 para mães solteiras), o que dá uma média de R$ 1.285. Usando a mesma cotação do dólar da primeira fase do programa, o valor fecha em 243 dólares.

A Secom então informou que os valores somados chegam a 958 dólares, próximo ao número dito pelo presidente Jair Bolsonaro.



Fonte: Pleno.News