Notícias de Última Hora

Doria oferecerá a Pazzuello, na quarta, 100 milhões de vacinas por R$5,65 bilhões

Governador elogia o ministro e explica a vacina tem custo unitário de dez dólares (R$56)

João Doria, governador de São Paulo, e sua vacina - Foto: divulgação
Segundo o site Diário do Poder, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) tem reunião marcada nesta quarta-feira (21) com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para tratar da compra, pelo governo federal, de 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac com o Instituto Butantã.

O custo unitário da vacina chega a dez dólares, segundo o governador disse ao Diário do Poder neste domingo (18), o que exigiria do governo federal US$1 bilhão de dólares para dispor desse instrumento de combate à doença. Isso equivale a R$5,65 bilhões. “Infelizmente, não existe vacina barata”, afirmou.

Ele está muito esperançoso de que haverá entendimento com o Ministério da Saúde em torno da “Coronavac”, a vacina desenvolvida com a parceria do Butantã. O governador elogiou muito a atuação do ministro Eduardo Pazuello, que considera “impecável”, inclusive no relacionamento com o governo paulista.


João Doria explicou que a posição do seu governo é altruísta e leva em conta os interesses da saúde pública de todos os brasileiros, daí sua disposição de buscar estabelecer um bom acordo com o governo federal.

Segundo o governador, a posição do ministro é correta: não interessa a origem da vacina, mas sua eficácia. Por isso, com a confirmação de que essa vacina funciona, como tem sido demonstrado na fase de testes, certamente não haverá obstáculos para o entendimento.


Doria explicou que seu governo se concentrou no esforço de garantir a vacinação da população de São Paulo, mas afirmou que o Butantã dispõe de capacidade de produzir 100 milhões de doses da vacina para o governo federal.