Notícias de Última Hora

Apoiadores de Trump manifestam-se em Washington para protestar contra fraude eleitoral


Em Washington DC, nos Estado Unidos, centenas de milhares de pessoas de todo o país participaram de uma manifestação pacífica. A manifestação ocorreu com o intuito de apoiar o presidente Donald Trump e seus apelos por integridade eleitoral, como parte de um movimento chamado “Stop the Steal” (pare o roubo).

Os apoiadores se reuniram no Freedom Plaza ao meio-dia e marcharam até a Suprema Corte, protestando contra a possível fraude na eleição presidencial. As pessoas expressaram preocupação com a integridade eleitoral e exigiram que todos os votos legais fossem contados. Eles também criticaram o posicionamento da grande mídia tradicional.


Mais de 50 manifestações foram organizados em todo o país no mesmo dia. Os organizadores do evento convocaram protestos nas capitais estaduais de todos os estados.

Um dos apoiadores de Trump, Roberto Joel Guttierez, de 18 anos, um estudante afro-americano, disse que veio para Washington “de Boston, não apenas por causa do meu presidente, mas para apoiar os Estados Unidos da América”.


Ele disse estar preocupado com as evidências de fraude eleitoral, falhas de computador e observadores não tendo permissão para monitorar a contagem de votos.

A mídia “gosta de retratar uma narrativa falsa de que todos os apoiadores de Trump são os supremacistas brancos. Mas, como você pode ver aqui, existem pessoas de todas as raças – negra, asiática, hispânica. Existem todos os tipos de pessoas”, disse Guttierez.


Os manifestantes seguravam cartazes com os dizeres “Pare o roubo”, “Mantenha a América ótima”, “Conte todos os votos legais” e “Pessoas mortas não votam”.

Uma outra apoiadora, Flor Cerrato, contadora de Los Angeles, veio ao comício exigir transparência. “Isso é basicamente o que queremos. Queremos que cada voto legal seja contado”, disse ela.

Ali Alexander, um dos organizadores do evento, disse que os organizadores enfrentaram “enormes desafios” de censura por plataformas de mídia social. Em 5 de novembro, o Facebook removeu um grupo “Stop the Steal”, alegando que fazia apelos à violência e buscava deslegitimar o processo eleitoral, afirmações que Alexander disse serem falsas.


Ed Martin, outro organizador do evento e presidente do Eagle Forum, estimou que quase 500 mil pessoas participaram do comício, embora ele disse que alguns meios de comunicação falsamente alegaram que apenas centenas de pessoas participaram.

“Não estou aqui para afetar o resultado da eleição”, disse o proeminente ativista conservador Scott Presler. “Eu simplesmente quero ter certeza de que todos os votos sejam contados e auditados. Portanto, meu objetivo não é apoiar um determinado candidato agora, eu só quero ter certeza de que o processo foi feito de forma justa.”


Trump escreveu um tuíte sobre os comícios em 14 de novembro, dizendo que foi emocionante “ver todo o apoio tremendo lá fora, especialmente os ralis orgânicos que estão surgindo em todo o país, incluindo um grande no sábado em DC”

No final da manifestação, que aconteceu no 
último sábado (14/11), alguns apoiadores de Trump foram verbalmente e fisicamente atacados por membros da rede de esquerda Antifa e do movimento terrorista Black Lives Matter.