Notícias de Última Hora

Hospital promove concurso de higiene das mãos em Altamira

O objetivo é aumentar a conscientização e prevenção para doenças infectocontagiosas. A ação foi desenvolvida pelo Hospital Regional Público da Transamazônica


“Você já parou para pensar na importância das mãos no seu dia a dia?” Essa foi uma das frases mais repetidas e lembradas pelos profissionais da saúde na última quinta-feira, 29, no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira.

Isso porque a unidade, mantida pelo Governo do Pará, e gerenciada pela Pró-Saúde, realizou o “I Concurso de Higiene das Mãos”. Idealizado pelo Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), o objetivo da ação é contribuir para a prevenção de infecções hospitalares, além de promover a segurança do paciente, profissionais da saúde e da população. 


As mãos são as principais vias de transmissão de germes e microrganismos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sua correta higienização pode reduzir em até 40% o risco de contrair doenças como a gripe, diarreia e o novo coronavírus (Covid-19).

O concurso

No início do mês de outubro, cada setor do hospital recebeu uma maquete em formato de mão. A peça foi confeccionada em parceria com o setor de Manutenção, que reutilizou placas antigas de sinalização do HRPT. Uma forma sustentável e consciente de reaproveitamento.

Nela, os participantes deveriam customizar de forma criativa expondo as ideias e desafios encontrados frente à pandemia da Covid-19.

As apresentações envolveram todos os 49 setores do HRPT e foram realizadas em dois turnos: manhã e tarde. Além disso, o evento contou com a participação de 10 jurados, que foram selecionados criteriosamente entre profissionais da saúde da região do Xingu, da imprensa local e ex-pacientes.

Apresentações

Cada setor escolheu um ou dois colaboradores que explicassem detalhadamente o motivo da escolha dos adereços de sua “mãozinha” aos jurados. As apresentações foram um verdadeiro show à parte.

Torcidas, emoção, gritos de guerra, fantasias e álcool gel, aliás, muito álcool gel. O auditório da unidade se tornou palco de interpretações dignas de artistas.

Os quesitos avaliados pelo júri foram: apresentação e caracterização das mãozinhas. 


Vítima de acidente de trânsito, o ex-paciente Gleidson Andrade fez parte do corpo de jurados. Em 2019, ele ficou 28 dias em coma na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HRPT e ontem, durante as apresentações, pôde agradecer a toda a equipe da unidade pela sua recuperação.

“Agradeço a todos pelo tratamento, sofri um acidente muito grave no ano passado. No meu caso, a higiene correta das mãos evitou qualquer tipo de infecção hospitalar durante minha internação”, conta Gleidson.

Vencedores

Na manhã desta sexta-feira, 30, ocorreu a cerimônia de premiação aos vencedores. No primeiro lugar houve empate técnico entre os setores de Farmácia, Central de Material Esterilizado (CME) e UTI adulto. Ambos foram premiados e ganharam um troféu.

O segundo lugar ficou com a Clínica Pediátrica, e o terceiro, com a equipe multiprofissional do Psicossocial.

O concurso seguiu todas as recomendações do Ministério da Saúde de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19).