Notícias de Última Hora

Criança tem reação à covid e corre risco de morte

Mãe conta como sua filha de seis anos quase morreu; ela achava que era catapora

Millie Denvers, de 6 anos, de Steyning, West Sussex, começou a se sentir mal e foi levada a hospital (Arquivo pessoal)
Elizabeth Denver, 36, mãe de Millie Denve, de 6 anos, teve medo de perder a filha para a covid, após pensar que a menina havia sido acometida por catapora. O caso aconteceu em Steyning, Sussex Ocidental, no Reino Unido.

A menina começou a se sentir mal na noite de sábado, 12 de dezembro, depois que três alunos de sua turma tiveram catapora.


A menina apresentou algumas manchas, ficou pálida, começou a vomitar e teve febre, com temperatura de 39,9 graus.

Na segunda-feira seguinte, a temperatura voltou ao normal, mas ela estava com sono, sem comer, sofrendo de náuseas e chorando de dor à noite.

O que parecia catapora, era uma reação alérgica (Arquivo pessoal)

Mãe de três filhos, Elizabeth Denver, estava preocupada que as manchas, ela acreditava serem catapora, não estivessem empolando e ligou para seu médico na manhã de terça-feira.

Ela foi aconselhada a chamar uma ambulância. O paramédico a aconselhou a levar Millie ao hospital.

Millie deu entrada no hospital de Worthing por volta do meio-dia e transferida em coma induzido para o hospital de Southampton por volta das 21h da terça-feira, 15 de dezembro.

Ela permaneceu em coma por dois dias. A mãe e o pai, Glen Denver, 40, foram informados pela equipe do hospital de Worthing que Millie tinha uma condição chamada Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica Temporariamente Associada ao Sars-CoV-2 (SIM-P).

Os pais foram informados de que a condição era uma reação à covid-19, que ela devia ter contraído algumas semanas antes, sem sintomas.

A mãe relatou ao Daily Mail: “Eu estava realmente enlouquecendo. Minha mãe é enfermeira e, quando liguei do hospital para contar o que estava acontecendo, ela começou a chorar, então eu soube que era algo realmente grave.”

Dúvida

Antes de colocá-la em coma, Glen perguntou se ela poderia morrer, e a enfermeira disse que não sabia dizer.

“Não tínhamos ideia de que ela estava com covid. Até ficar doente no sábado, 12, ela estava completamente normal e é uma menina muito ativa.

Essa alergia à covid ataca todos os órgãos e a medula óssea. Os rins da criança estavam muito danificados. Cinco por cento das crianças portadoras de covid desenvolvem SIM-P.


Recuperação

Elizabeth, que também é mãe de Elsie, 9 anos, e Felicity, 12, disse que Millie ficou oito dias internada. A menina recebeu alta no dia 23, a tempo para estar em casa no Natal. Segundo a mãe, a recuperação foi rápida com o auxílio da fisioterapia. "Foi um alívio ouvi-la rir com as irmãs na véspera de Natal. Dias depois, passamos por parques cheios de crianças brincando juntas. Ninguém sabe que a covid pode ser tão perigosa para elas", advertiu.

 Com informações do Daily Mail